Nuno Trocado

[en] [pt]

Nuno Trocado

Nuno Trocado is a composer, guitarist, and researcher crossing various contemporary musical constellations. He is particularly interested in the combination between the spontaneity of improvisation and the rigor of algorithmic composition. His work also focus on the multiple meanings of noise, and frequently entails collaborations with other musicians and with artists of different disciplines.

He has composed for various instrumental ensembles and presented electro-acoustic works, while being also active in several improviser groups, both as a leader and as a sideman.

He holds degrees in jazz guitar and composition (ESMAE, Porto, Portugal) and he's currently a PhD candidate at the University of Coimbra.

In the context of a residence in the 2017 edition of the Guimarães Jazz festival, he created Cotovelo, a disciplinary crossing between music and theater, with text by Jorge Louraço, edited by the Carimbo Porta-Jazz label. A follow-up collaboration in 2021 gave rise to Umbral (to be edited in audio and video in 2022). His work 2458208, for ensemble and electronics, was recorded by the Ensemble de Música Contemporânia da ESMAE and the score published by MPMP. He received further commissions by Coreto Porta-Jazz and Arte no Tempo. He's a co-founder of the band Pãodemónio, contributing guitar and electronic noises to both their released albums. In 2019 he launched Vestiges, an improvised collaboration with the bassist Sérgio Tavares and the British multi-reedist Tom Ward. In 2020 he recorded with organist Liévin Lefebvre and with drummer João Martins . He also participated in the multimedia project Expurgar, led by visual artist Dária Salgado.

Nuno Trocado won grants by the Portuguese Ministry of Culture, the GDA Foundation, and the Calouste Gulbenkian Foundation.


Nuno Trocado é um guitarrista, compositor e investigador que cruza várias constelações musicais contemporâneas. Interessa-se em especial pela combinação entre a espontaneidade da improvisação e o rigor da composição algorítmica, pelo ruído nas suas várias acepções e pela colaboração com outros músicos e artistas de diferentes disciplinas.

Tem composto para várias formações instrumentais e apresentado obras electro-acústicas, participando ainda em vários grupos de improvisadores, como líder e como sideman.

É licenciado em Jazz/Guitarra, mestre em Composição e Teoria Musical pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo, no Porto e actualmente doutorando na Universidade de Coimbra.

Entre outros projectos que até hoje trouxe a público, destacam-se Cotovelo, um cruzamento entre música e monólogo teatral, com texto de Jorge Louraço, desenvolvido no contexto de uma residência na edição de 2017 do Festival Guimarães Jazz, editado em disco com o Carimbo Porta-Jazz. Este projecto desenvolveu-se em 2021 com uma nova criação, Umbral, presentemente em circulação e com edição prevista para 2022. Compôs 2458208, para ensemble e electrónica, gravada em disco pelo Ensemble de Música Contemporânea da ESMAE e publicada a partitura pela editora MPMP. Recebeu ainda encomendas do Coreto Porta-Jazz e da Arte no Tempo. Contribuiu como guitarrista e com ruídos vários para os dois álbuns até à data editados pelo colectivo Pãodemónio. Em 2019 lançou o disco Vestiges, em colaboração com o contrabaixista Sérgio Tavares e o multi-instrumentista britânico Tom Ward. Outras participações discográficas recentes incluem Hundred Milliseconds (2020), do baterista João Martins; La Vie Continue… (2020), do organista Liévin Lefebvre. Participa ainda no projecto multimédia Expurgar, concebido pela artista Dária Salgado.

Nuno Trocado foi apoiado pelo Ministério da Cultura/DGArtes, pela Fundação GDA e pela Fundação Calouste Gulbenkian.